terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Rio em desordem

O turismo no Rio de Janeiro já está com seus dias contados. A política de ordenamento urbano deve começar pela própria prefeitura cancelando as licenças concedidas a torto e a direito para qualquer tipo de comércio. Como exemplo claro e indiscutível, há a feira de artesanato que se instalou definitivamente na Avenida Atântica.
A bagunça que essa feira promove nos dias de montagem é absurda. Causa tumulto no trânsito e na vida dos moradores, que muitas vezes são impedidos de trafegar porque os organizadores param sistematicamente os carros sobre as calçadas e em fila dupla para descarregar material. É hora do secretário de Ordem Pública dar um choque de ordem também nessa feira, que no começo era apenas um local de exposição de quadros e pintores, mas que depois se tornou uma "feirinha" de artesanato e bugingangas. Como se não bastasse, ambulantes resolveram colocar suas barracas com todo o tipo de comidinhas, cachorro quente, salsichão, milho verde ,o que deixou de ser algo para turista e passou a ser um incômodo para os moradores de Copacabana.
A Avenida Atlântica é um local de turismo conhecido mundialmente e cartão postal do Rio de Janeiro. Não foi de graça que o economista Edmund Phelps suscitou polêmica em sua declaração domingo passado quando disse que:" São Paulo parece crescer cada vez mais, enquanto que o Rio permanece estagnado, com uma pobreza cada vez mais visível nas favelas." Todas as autoridades de turismo pularam em defesa do Rio. Mas é fato indiscutível que o Rio de Janeiro acabou. Não adianta o presidente da Associação da rede hoteleira reclamar que o economista foi duro com a cidade e querer tapar o sol com a peneira, dizendo que o Rio está abrindo mil novos quartos de hotel por ano. Sim, e o que adianta aumentar o número de leitos? Isso por si só não vai melhorar a qualidade de vida, nem dos cariocas, nem dos turistas que chegam aqui em busca de boa culinária, cultura, diversão e coisas bonitas, e não para ver miséria, sujeira, ruas fedendo a urina e outras coisas mais.
Já é hora dessa gente que tira os nossos impostos até sangrar, acordar e ver que o Rio se transformou numa grande latrina. Será que essas cabeças pensantes não viajam ou não querem enxergar que o Rio só é bom para o turismo de homem solteiro, o famigerado turismo sexual que é barato e fácil,haja vista a boate que ficou famosa no exterior.Não há ninguém que tenha vindo ao Rio de Janeiro que não conheça a tal boate.
Ficar com raiva quando alguém declara o que todos estão vendo, não vai melhorar a situação. É preciso que alguém de fora aponte os defeitos, o que está errado com o Rio.
É muita hipocrisia achar que está tudo bem .

Um comentário:

Fernanda disse...

Oi Cris, vc falou tudo. Todos nós vemos diariamente na rua, só que, ninguém fez nada até agora. vamos ver esse novo prefeito.